O que acontece se não pagar o seguro de Responsabilidade Civil Automóvel?

As seguradoras, por imposição legal,  são obrigadas a informar a Direcção Geral de Viação (matrículas, nomes, clientes e moradas de contratos renovados, novos e anulados). As autoridades policiais são informadas da ocorrência, podendo o veículo ser bloqueado, rebocado e o proprietário autuado com consequente apreensão da viatura. 

O que é a convenção IDS?

A convenção IDS procura facilitar a resolução de acidentes automóvel. Este sistema permite que o sinistro seja regularizado pela própria seguradora do veículo, desde que tenha ocorrido em Portugal, não existam danos corporais, os veículos sejam de matrícula portuguesa, não existam mais do que dois veículos intervenientes e os prejuízos do veículo seguro não exceda os 15.000 €. Além disso, as seguradoras envolvidas deverão ter aderido à convenção.

Qual é a principal diferença entre IDS e CIDS?

A diferença esta no número de assinaturas necessárias para que a Seguradora possa resolver o sinistro. No CIDS basta apenas uma única assinatura, enquanto no IDS são necessárias as duas assinaturas dos condutores.

Qualquer veículo pode ter seguro de Responsabilidade Civil Automóvel para uma viatura?

'Não obstante o seguro ser obrigatório, só podem ser efectuados seguros de de Responsabilidade Civil Automóvel referentes veículos que tenham realizado a respectiva inspecção periódica obrigatória.

No sinistro automóvel quando existe o direito a viatura de substituição?

Em situações de seguros com danos próprios cobertos pela apólice, nos casos em que não existe responsabilidade no sinistro e o veículo ficou imobilizado. Se a viatura circular, terá direito à viatura de substituição, durante os dias de reparação acordados entre a oficina e o perito.

Existe algum prazo para participar qualquer sinistro?

Sim, deverá participar o mais rápido possível, nunca deve exceder o prazo de 8 dias após o acidente.

Num seguro Automóvel, que outras coberturas podem ser contratadas?

  • Danos Própios; - Choque, Colisão, Capotamento; - Raio, Incêndio ou Explosão; - Furto ou Roubo; - Fenómenos da Natureza;- Actos Maliciosos.

  • QIV, (quebra isolada de vidros); 

  • Protecção Jurídica, (apoio judicial ou extrajudicial em caso de acidentes de viação);

  • Privação de Uso, (pagamento de uma quantia diária devido à impossibilidade de utilização do veículo);

  • Ocupantes (danos pessoais causados aos ocupantes do veículo seguro, independentemente da responsabilidade do sinistro).

O que são períodos de carência nos seguros de saúde?

O período de carência das coberturas é o período de tempo que decorre entre o início do contrato e a data a partir da qual, a pessoa segura já pode usufruir das coberturas.

Se transferir o seguro de saúde para outra seguradora, existe tempo de carência?

Não, desde que se mude para outra seguradora sem que se verifique interrupção do contrato com a antiga seguradora. Nestes casos o seguro  fica a funcionar de imediato. Se existir interrupção do contrato, será sujeito a novos períodos de carência.

Quando é que as coberturas de um seguro começam a produzir efeitos?

Sim, deverá participar o mais rápido possível, nunca deve exceder o prazo de 8 dias após o acidente.

O seguro de acidentes pessoais funciona no estrangeiro?

Sim. Os seguros de acidentes pessoais funcionam em qualquer parte do mundo e 24 horas por dia se tiver a cobertura profissional e extra-profissional.

É possível pagar o prémio do seguro em fracçóes (prestações)?

É possível no entanto poderá existir um pequeno agravamento do prémio. O pagamento em frações implica que cada prestação seja paga até à data limite constante no aviso. De modo a manter o seguro válido. Se tal não se verificar o seguro perde imediatamente a sua validade.

O aviso/recibo de pagamento terá que ser liquidado até à data limite referida no mesmo?

Sim. Se não for o seguro não será válido após esse dia. O aviso /recibo terá que ser enviado até 30 dias de antecedência.

Kabak.png